Se meus joelhos não doessem mais…

Se meus joelhos não doessem mais…

Se meus joelhos não doessem mais…

Pois é, a dor no joelho é uma das queixas mais frequentes no consultório do Médico do Esporte e do Ortopedista. As causas dessa dor podem ser variadas, entretanto, existem problemas que acometem mais uma faixa etária que outra.

NA INFÂNCIA, a descoberta e o entusiasmo pelos esportes pode ser acompanhado de quedas e traumas, que levam as contusões e, eventualmente, fraturas do esqueleto imaturo (“lesões da placa de crescimento”). Por outro lado, nas queixas de dor não relacionadas a trauma, as articulações vizinhas (coluna, tornozelo e principalmente, o quadril), podem estar envolvidas na causa (“dor referida”), e portanto, devem ser avaliadas sistematicamente. Outro quadro frequente é a chamada “dor do crescimento”, que não apresenta causa estabelecida, tem caráter autolimitado e responde satisfatoriamente com o tratamento conservador (repouso e analgésicos).

NO JOVEM E NO ADULTO, o sedentarismo, assim como, o treinamento excessivo ou inadequado leva a sobrecargas e desequilíbrios funcionais e, por conseguinte, o desenvolvimento de tendinites e bursites nos joelhos. No vôlei, basquete, judô e principalmente, no futebol, os entorses são eventos frequentes e, são o principal mecanismo de lesão ligamentar do joelho. Nos dias de hoje, é comum conhecermos alguém que teve alguma lesão ligamentar, ou mesmo, foi operado, em especial, a lesão do ligamento cruzado anterior. As fraturas também constituem outra possível causa de lesão e são produzidas por traumas de alta e baixa energia (fraturas da patela, tíbia proximal e fêmur distal).

ACIMA DOS 45 ANOS (RUMO A TERCEIRA IDADE), as causas de dor no joelho estão, mais comumente, relacionados as alterações degenerativas. Podemos assim dizer que é o processo evolutivo natural pelo qual todos nós iremos passar um dia! Isto é, nada mais que o envelhecimento de estruturas ósseas, capsulo-ligamentares (meniscos, ligamentos…), ou seja, a artrose evolui gradativamente e, as queixas de dor, crepitação, limitação de movimento serão proporcionais a evolução da degeneração articular.

O conceito de que a atividade física regular desenvolvida através do esporte melhora a performance do sistema cardiovascular, e paralelamente, traz benefícios importantes ao sistema musculoesquelético tem sido muito enfatizada. Entretanto, vale ressaltar que o esporte não é atividade isenta de lesão, particularmente no joelho.

Na pratica clínica e esportiva, a grande maioria dos casos de dor no joelho são decorrentes de atividades físicas ou laborativas desenvolvidas de forma impulsiva, empírica, e evidentemente de mecanismos traumáticos. Desse modo, a avaliação pré-participacional e fundamental, pois auxilia no diagnóstico de lesões pré-existentes, assim como, na identificação de desequilíbrios musculoesqueléticos que possam determinar outras lesões durante a atividade física.

Prof. Dr. Sérgio Rocha Piedade